Roteiros

Históricos

Aiuruoca foi fundada em 1706 e tem muita história para contar.  Mergulhe na História e encante-se!

Bandeira de Aiuruoca

Aiuruoca tem várias opções de roteiros históricos e cada um deles tem detalhes que fascinam e encantam

Podemos visitar o centro histórico da cidade, o local onde a cidade teve início, os bairros rurais, as fazendas centenárias, os locais de exploração do ouro, as igrejas ou mesmo caminhar pelo município e imaginar onde viviam os índios, onde se assentaram os garimpeiros e onde se firmaram as fazendas para dar origem ao que hoje, exploramos como Turismo Sustentável.

Bandeira de Aiuruoca

Vista parcial de Aiuruoca – 1914

Principais datas

  • 1532 – Descoberta da região – Martin Affonso
  • 1692 – Descoberta de Aiuruoca – Padre Fialho
  • 1702 – Fundação das Minas da Guapiara – João de Siqueira Affonso
  • 1706 – Fundação das Minas de Aiuruoca – João de Siqueira Affonso
  • 1708 – Criação da Superintendência das Minas
  • 1715 – Criação da Regimento de Cavalaria
  • 1717 – Criação da Paróquia – 3º Bispo do Rio de Janeiro
  • 1724 – Criação do Distrito Judiciário
  • 1754 – Visita de Claudio Manoel da Costa
  • 1834 – Criação Vila de Aiuruoca
  • 1868 – Criação da Comarca de Aiuruoca

A cronologia aiuruocana

No final dos anos 1600, a busca por ouro era grande. No início de 1700 já haviam pessoas garimpando por aqui e a cidade surgia. No início de 1800 encerram-se os tempos áureos e tem início o período da Agropecuária. No final dos anos 1900, desponta o turismo que passa pelos anos 2000 e permanece até hoje, crescendo a cada dia.

Aiuruoca com ruas sendo calçadas
Aiuruoca_1970

História de Aiuruoca

A primeira vez que o nome de Aiuruoca, na sua forma primitiva – Juruoca – apareceu na história foi quando Bento Pereira de Souza Coutinho, escreveu, em 29 de julho de 1694, ao governo do Brasil e referiu-se ao itinerário das Bandeiras Paulistas em Minas Gerais, mencionando o Rio Grande, cujas cabeceiras estariam localizadas no Penedo dos Juruocas (papagaios de peito roxo), hoje conhecido como Pico do Papagaio.

João de Siqueira Afonso, bandeirante de Taubaté, transpôs a Serra da Mantiqueira e entrou em território mineiro, descobrindo as minas do Sumidouro em 1702, as de Guarapiranga (atual Piranga) em 1704, e impulsionado pela sua ambição, seguiu pelo “Rio Grande” até a Serra dos Papagaios, onde em 1705 descobriu as minas de Aiuruoca e em 1706 fundou o arraial de mesmo nome (Aiuruoca).

Pela Resolução nº 17 de 14 de Agosto de 1834, Aiuruoca foi elevada à categoria de vila por ato do Regente Feijó, com seu território desmembrado do município de Baependi e sua instalação se deu no ano seguinte, isto é, no dia 07 de setembro de 1835.

Pela Lei Provincial nº 1.510, de 20 de julho de 1868, ganhou sua emancipação política sendo elevada à categoria de cidade.

Na divisão administrativa do Brasil, o município, em 1911, era composto de sete distritos: Aiuruoca (criado pelo Alvará de 16 de fevereiro de 1724 e por Lei Estadual nº 2, de 14 de setembro de 1891), Serranos, Passa-vinte, Alagoa, Carvalhos, Bom Jesus do Livramento (atualmente Liberdade) e Rosário da Bocaina (atualmente Bocaina de Minas).

Pela Lei Estadual nº 843, de 07 de setembro de 1923, Alagoa foi transferida para Itanhandu e pelo Decreto nº 418, de 17 de dezembro de 1938, os distritos de Liberdade, Bocaina de Minas e Passa Vinte, passaram a pertencer ao município de Liberdade. Em 1948 Carvalhos, constituiu o município do mesmo nome (Carvalhos).

No quadro da última divisão administrativa e judiciária do Estado, com vigência de 1º de janeiro de 1954 a 31 de dezembro de 1958, apareceu o município de Aiuruoca.

Casarão da Fazenda Guapiara - 1716